sábado, 1 de novembro de 2014

Jornal i- Reposição de salários só durou duas horas, cortes continuam em 2016



"A promessa de reposição integral dos salários dos funcionários públicos em 2016 durou exactamente duas horas. Às dez da manhã, no discurso de abertura da discussão sobre o Orçamento do Estado, Passos Coelho prometia uma “reversão de 20% em 2015 e integral no ano seguinte” para os salários da Administração Pública superiores a 1500 euros. Com uma ressalva que não constava do texto escito: “Se outras propostas não forem feitas entretanto”. 


Demorou apenas duas horas. Ao meio dia, em resposta a uma intervenção de Os Verdes, o primeiro-ministro contraria o seu próprio discurso e diz que, se for primeiro-ministro em 2016, voltará a propor que a reversão no corte dos salários seja apenas de 20%. “Como se sabe o Tribunal Constitucional (TC) não permitiu que se pudesse, em 2016, prosseguir com uma devolução de 20%. Se eu for primeiro primeiro-ministro não deixarei de apresentar novamente essa proposta e proporei que essa reversão seja de 20%”. Ou seja, não haverá ainda devolução integral de salários." (continuar a ler: Jornal i)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.