domingo, 14 de setembro de 2014

Plataforma de Sindicatos de Professores reúne segunda-feira e convoca conferência de imprensa

"Contrariamente ao que os responsáveis do MEC pretendem fazer crer, o ano letivo inicia-se da pior forma. O aspeto mais negativo é a colocação de professores: atrasos, erros, exclusões ilegais, professores dos quadros por colocar e milhares de lugares por preencher são a face visível de um problema que tem vindo a agravar-se de ano para ano. Mas há outros problemas que afetam este recomeço, designadamente a falta de professores para apoio dos alunos com necessidades educativas especiais, falta de pessoal auxiliar, a desorganização crescente do 1.º ciclo do ensino básico ou os continuados cortes orçamentais no ensino superior e na investigação.
De toda a ação que tem vindo a ser desenvolvida pelo MEC destaca-se o desrespeito pelos profissionais docentes e que se expressa de diversas formas, desde a exclusão de cerca de oito mil docentes dos concursos por não terem realizado a "PACC" à oferta aos municípios de 12.500 euros por cada professor que consigam reduzir. 

Mas o ano letivo 2014/2015 é o ano em que o governo prevê aplicar a designada reforma do Estado, que mais não é que um perigoso programa de privatização do ensino que conta com medidas já anunciadas como o "cheque ensino" ou as "escolas independentes"; também em relação aos docentes, as medidas impostas têm vindo a agravar as suas condições de trabalho e de exercício profissional. Assim, no ano letivo que agora começa, há dois documentos legais importantíssimos que correm grande perigo: a Lei de Bases do Sistema Educativo e o Estatuto da Carreira Docente.

Preocupadas com a situação que vivem os professores e as escolas, mas também com o anunciado prosseguimento de políticas que, progressivamente, desmantelam a Escola Pública democrática e de qualidade, sete organizações sindicais de professores – ASPL, FENPROF, SEPLEU, SINAPE, SIPE, SIPPEB e SPLIU – reuniram-se em Plataforma de Sindicatos de Professores e, nesse âmbito, têm vindo a analisar o estado da Educação em Portugal e, face à gravidade dos problemas que são conhecidos, decidiram convergir em ações e lutas.
Esta Plataforma de Sindicatos de Professores volta a reunir-se na próxima segunda-feira, dia 15 de setembro, data em que termina o período destinado no calendário escolar ao início das atividades letivas. Na sequência dessa reunião que se iniciará de manhã será promovida uma

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA
SEGUNDA, 15. SETEMBRO – 16 HORAS
LISBOA, HOTEL MARQUÊS DE SÁ (Av. Miguel Bombarda)
  • Concursos e colocações de docentes: situações concretas que põem em causa seriedade e rigor do concurso;
  • Abertura do ano letivo: principais dificuldades que se abatem sobre as escolas;
  • Ação dos professores: Dia Mundial dos Professores, o recomeço da luta; auscultação aos docentes com vista ao seu prosseguimento.
Apelamos à presença dos/das senhores/as jornalistas.

As organizações subscritoras
ASPL, FENPROF, SEPLEU, SINAPE, SIPE, SIPPEB e SPLIU"



Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.